4 de Outubro de 2010

Revista de Poesia «Piolho» 2 | Edições Mortas & Black Sun Editores

Algures entre a pedra suja e o diamante de sangue pulula inequivocamente o segundo número da revista de poesia Piolho. Seguimos com a ode bicéfala aos anões e aos gigantones.

Fotografia de António S. Oliveira

18 de Setembro de 2010

extracção nyaneka | voz das mães, Ruy Duarte de Carvalho

falaste?
turvaste a água!

é morte de homem?
a que cheira então?

isso que fede é o cheiro da injúria, da afronta
da escória da memória.

falaste, soltaste a língua
abriste a palavra aos outros:

vem-te à boca agora
o hálito alheio

e respiras o sabor
do que tinhas engolido.

vai à lenha e volta
a novidade espera.

onde ir à água que a não deixes turva
e aonde te vais mostrar
que não te exponhas ao mundo?

da rama estéril, quem fala?
a inveja visa é lá, é onde tem.

hálito alheio:
memória da escória.

15 de Setembro de 2010

Com algum atraso fica o registo neste blogue do nascimento do Bebé Fausto da Silva Oliveira no dia 30 de Agosto. Agora a noção de tempo mudou radicalmente e espartilha-se pelas várias vertentes do admirável mundo da puericultura.

No plano da leitura o encontro com a narrativa de Sylvia Plath e as ilustrações de Rotraut Susanne Berner em O Fato do Tanto-Faz-Como-Fazia:

«O Max vivia com a Mãe e o Pai Nix e os seis irmãos numa pequena aldeia chamada Winkelburg, a meio de uma montanha íngreme. A montanha tinha três picos e em todos os três picos, tanto de inverno como de verão, havia uns chapéus de neve que pareciam mesmo três grandes cones de gelado de baunilha.
O Max gostava do sítio onde vivia.
O Max era feliz, à excepção de uma única coisa. Mais do que qualquer outra coisa no mundo, o Max Nix queria ter um fato só para si».

19 de Agosto de 2010

Revista de Poesia «Piolho» 2 | Ed. Mortas

Avizinha-se o segundo passo da Revista Piolho, com as colaborações de Melusine de Matos, Renato Filipe Cardoso, manuel a. domingos, Fernando Esteves Pinto, Zaralleci, Rui Costa, Ivar Corceiro, Raul Simões Pinto, Gilberto de Lascariz, Sílvia C. Silva, Luís Serra, Miguel Sá Marques, Sérgio Almeida, Humberto Rocha,Théodore Fraenckel,...

16 de Agosto de 2010

Véu Nascituro

Sob o mote da palavra,
um sopro de vida.

Do véu nascituro,
uma parte do ser.

Qual gata assanhada,
fôlego de flor ou cão cansado,
ronrono para te espreitar – F.!

21 de Julho de 2010

«A Origem do Mundo», Jorge Sousa Braga

Uma mulher deitada de costas
As pernas abertas a vulva exposta

Em primeiro plano entre as coxas
Roliças e as nádegas espalmadas

Os pêlos do púbis densos como escamas
Como linha do horizonte as suas mamas

9 de Julho de 2010

Revista de Poesia «Piolho» | Edições Mortas

Por cá já saltita o número 1 da Revista de Poesia Piolho, uma ideia de A. Dasilva O. corroborada por Raul Simões Pinto, algures numa mesa do café Piolho. Neste número colaboraram António Barahona, A. Pedro Ribeiro, Fernando Guerreiro, Humberto Rocha, Meireles de Pinho, Ricardo Álvaro, Suzana Guimarães, Teresa Câmara Pestana, Zarelleci, entre outros. Seguimos degustando a trilogia A quiche e o arroz de pato/ Alma Couratos/ O poema Kinder.


Fotografia de António S. Oliveira